E Não Sobrou Nenhum – Agatha Christie

LIVRO: E NÃO SOBROU NENHUM
AUTORA:
 AGATHA CHRISTIE
EDITORA: GLOBO LIVROS
GÊNERO: SUSPENSE POLICIAL
ANO DE PUBLICAÇÃO: 2014
ISBN: 978-85-2505-701-3
Nº DE PAGINAS: 400
AVALIAÇÃO: 5/5

Fotor_148957408311783

E Não Sobrou Nenhum ou O Caso dos Dez Negrinhos de Agatha Christie é um dos romances policiais da autora mais aclamadas de todos os tempos. Diferente da maioria de suas obras em “E Não Sobrou Nenhum” não existe um detetive, o assassino do livro não é apenas um mistério para o leitor mas também para personagens. Como na maioria dos livros de Agatha Christie, este também se passa em uma mansão, onde 10 pessoas são convidadas a passar alguns dias na ilha Do Soldado algumas, até sem saber o motivo de estarem lá, se interessam no dinheiro e na paz que a olha pode oferecer a suas mentes.

A história começa após um jantar quando os participantes ouvem uma misteriosa voz, oriunda das paredes da sala de jantar, onde são revelados segredos obscuros de cada um. Em seguida um pânico invade o ambiente e começam a ocorrer algumas mortes. Todo mistério rodeia um poema que é encontrado em todos os quartos da casa.

Dez soldadinhos saem para jantar, a fome os move;
Um deles se engasgou, e então sobraram nove.
Nove soldadinhos acordados até tarde, mas nenhum está afoito;
Um deles dormiu demais, e então sobraram oito.
Oito soldadinhos vão a Devon passear e comprar chiclete;
Um não quis mais voltar, e então sobraram sete.
Sete soldadinhos vão rachar lenha, mas eis
Que um deles cortou-se ao meio, e então sobraram seis.
Seis soldadinhos com a colmeia, brincando com afinco;
A abelha pica um, e então sobram cinco.
Cinco soldadinhos vão ao tribunal, ver julgar o fato;
Um ficou em apuros, e então sobraram quarto.
Quatro soldadinhos vão ao mar, um não teve vez;
Foi engolido pelo arenque defumado, e então sobraram três.
Três soldadinhos passeando no zoo, vendo leões e bois,
O urso abraçou um, e então sobrou dois.
Dois soldadinhos brincando ao sol, sem medo algum;
Um deles se queimou, e então sobrou só um.
Um soldadinho fica sozinho, só resta um;
Ele se enforcou,
E não sobrou nenhum.

O livro é surpreendente de todas as maneiras. Narrado em 3º pessoa iremos conhecer um pouco de cada personagem e junto com eles vamos tentando desvendar todo mistério do livro. Agatha consegue nos prender a cada página e nos deixa intrigados a cada minuto, o que te leva ler o livro noite adentro.

Mesmo o livro sendo publicado originalmente a mais de 50 anos, a leitura em momento algum é cansativa. E quanto ao final, não tem outra palavra se não SURPREENDENTE, de todos o finais esse foi de longe um dos mais diferentes que  li da autora.  As poucas pistas deixadas durante o enredo só dificultam a conclusão do livro. E toda a verdade só é revelada no epílogo do livro, é muita tortura!

Li poucos livros da autora, e ela ainda não se tornou minha autora favorita, mas com certeza um bom fã de suspense policial precisa ler esse livro. Os capítulos dessas edição são bem curtinhos o que ajuda a leitura ser ainda mais rápida. A narrativa foi organizada de forma que tudo se encaixe perfeitamente no final. A criatividade da autora de se basear todo um suspense em uma cantiga infantil foi genial.

sketch-1489573290412

Originalmente o livro é chamado Ten Little Niggles ou O Caso dos Dez Negrinhos, porém após algumas polêmicas que surgiram, principalmente nos EUA, por conta do título “Negrinhos” eles alteraram o passagensdo livro. A ilha antes chamada Ilha do Negro agora é Ilha do Soldado e a cantiga infantil onde era “negrinhos” passou a ser “soldadinhos”.

O livro foi adaptado para o teatro em 1943 com o título Os Dez Indiozinhos. Para a TV e cinema o filme já teve VÁRIAS adaptações as mais recentes foram: Don’t Blink, filme lançado em 2014 dirigindo por travis Oates que tem o enredo bem parecido com a história, onde relata 10 amigos “presos” em um resort deserto e vão sumindo um a um. E em 2015 o canal BBC exibiu a minisiérie britânica “And Then There Were None”.

Bom galera é isso, espero que tenham gostado. Deixen seus cometário e me contem se já leram esse ou algum outro livro da autora.

Bjus! 

Keel ^^

 

 

Anúncios

Labirinto – Jim Henson e A.C.H. Smith

 

LIVRO: LABIRINTO
AUTORES:
JIM HENSON E A.C.H. SMITH
ILUSTRAÇÃO: BRIAN FROUD
EDITORA: DARKSIDE BOOKS
GÊNERO: AVENTURA/ MAGIA
ANO DE PUBLICAÇÃO: 2016
ISBN: 978-85-9454-009-6
Nº DE PAGINAS: 272
AVALIAÇÃO: 5/5 ★ Favorito!

dsc_1330

Cansada e nervosa por mais uma noite ter de cuidar do irmão mais novo enquanto os pais estão fora, Sara mais do que nunca deseja se livrar de seu irmão que não para de chorar. Após dizer as palavras certas, o Rei dos Duendes, um dos personagens do livro favorito de Sara ganha vida e rapta o bebê.  Arrependida a garota terá de atravessar o labirinto cheio de armadilhas e apenas 13 horas, para chegar ao castelo e salvar seu irmão, caso contrario ele se transformará em duende para sempre.

Diferente da maioria, o livro foi adaptado do filme onde o autor inseriu novas cenas que só deixaram a história ainda mais interessante. Para quem é fã do filme esse livro é um prato cheio, contém ilustrações originais feitas por Brian Froud e alguns rascunhos de Jim Hanson. Um história de fantasia que marcou a infância e adolescência de muita gente nos anos 80 e 90.

O livro foi escrito por A.C H Smith logo após a produção do filme e recentemente a editora Darkside Book lançou uma nova edição maravilhosa. Uma aventura para todas as idades tanto o filme quanto o livro. O livro é narrado em terceira pessoa, e acompanhar as aventuras de Sara e os amigos que ela faz ao longo de sua caminhada foi uma sensação muito gostosa. Os personagens no livro são muito bem detalhados e ao ler você se sente mergulhado no filme, mesmo que você não tenha assistido.

dsc_1332

dsc_1341

dsc_1342

dsc_1343

O filme foi lançado em 1986 foi escrito e dirigido por Jim Henson, tendo no elenco David Bowie (como o Rei dos Duendes) e a estréia de Jennifer Connelly (como Sara). A idéia do filme surgiu depois que Jim Hanson e Brian Froud voltando da estréia de outro filme em que trabalharam juntos “O Cristal Encantado (1982)”, eles concordaram em fazer outro projeto juntos. Onde Freud fez um esboço de um bebê cercado por goblins e esta foi a que deu a maior inspiração para a obra.

Recentemente o filme teve uma nova dublagem deixando as falas e a interação dos personagem mais moderna. Para quem é fã e não sabia (assim como eu) o filme teve outras adaptações além do livro, uma HQ  comemorando os 30 anos da obra “Jum henson’s Labyrinth: 30th Aniversary Spacial” publicada pela Marvel Comics, um mangá chamado “Return to Labyrinth” com quatro volumes sendo uma espécie de continuação de O Labirinto.  E também existe um jogo de RPG chamado “Labyrinth: Maou no Meikyuu” lançado para o console NES.

Bom galera é isso espero que vocês tenham gostado, e deixem aqui nos comentários se já leram ou assistiram ao filme!

Bjus!
Keel^^

Orange – Ichigo Takano

MANGÁ: ORANGE
AUTORA:  ICHIGO TAKANO
VOLUMES:
 CINCO
EDITORA: JBC
GÊNERO: SOUJO
ANO DE PUBLICAÇÃO: 2012 – 2015
AVALIAÇÃO: 5/5 ★ Favorito!

dsc_1909

Orange é Shoujo (mangá voltado para o público infanto juvenil feminino) que conta a história de seis amigos: Azusa, Takako, Hagita, Naho, Suwa e Kakeru. Em um certo dia Naho recebe uma carta dela mesmo do futuro (10 anos depois), com conselhos para não tomar determinadas decisões durante seu dia, mas ela ignora as informações da carta e Naho e seus amigos acabam convidando o novo aluno da classe (Kakeru) para sair depois da escola. Mas algo terrível acontece a Kekeru nesse dia, algo que podeira ser evitado se ele tivesse ido para casa mais cedo. Após esse acontecimento, Naho decide seguir as instruções da carta do futuro (onde kakeru não exite) e junto com seus amigos ela irá fazer tudo para que a dor do arrependimento desapareça, mesmo 10 anos depois.

O mangá possui cinco volumes e a história é tão envolvente que quando se vê já leu os todos os volumes em um único dia. Ele envolve viagem no tempo e fala sobre amizade, perda, dor, arrependimento, culpa esperança. A jornada desses amigos te ensina a dar valor para o que realmente importa e a tomar as decisões certas para não se arrepender depois.Apesar de falar sobre assuntos pesados o mangá é narrado de uma maneira delicada e sutil.

dsc_1923

Já tem um tempo que queria ler esse mangá, a maioria das resenhas que li eram todas positivas e além disso teve muita gente recomendando a leitura, então aproveitei minhas férias e resolvi ler todos os cinco volumes. E posso dizer a vocês que ele superou minhas expectativas, sem duvida um dos mangás mais lindos que já li. É impossível ler e não sentir empatia por esses personagens, não querer se envolver em suas aventuras e torcer para que o futuro seja mudado. O que mais me chamou a atenção foi a relação entre esses amigos onde podemos acompanhar um amizade tão bonita e um relacionamento muito lindo entre eles. A história desses jovens que carregam fardos pesados mostra como a amizade é importante em nossas vidas.

dsc_1936

Apesar de toda a dor e todo o tema pesado que é o fundo da história a autora consegue encaixar muitos momentos de alegria e beleza que o deixa mais especial. Para quem gosta de mangá nesse estilo eu super indico a leitura. Além disso tem o anime feito Mitsujirō Hashimoto que foi lançado no japão em 12 de dezembro de 2015 (que também é maravilhoso, apesar que não assisti tudo) e vou deixar o link AQUI para quem se interessar.

Quem já leu essa maravilha? Se não leu CORRE e  vai ler kkkk. E quem já leu deixe aqui nos comentários sua opinião.

Bjus!

Keel^^

Identidade Roubada – Chevy Stevens

LIVRO:  IDENTIDADE ROUBADA
AUTORA: CHEVY STEVENS
EDITORA:  ARQUEIRO
GÊNERO: TRILHER PSICOLÓGICO
ANO DE PUBLICAÇÃO: 2011
ISBN: 978-85-8041-012-9
Nº DE PAGINAS: 256
AVALIAÇÃO: 5/5 ★ Favoritado!

dsc_1801

Chevy Stevens  cresceu Vancouver. Em sua vida adulta trabalhou representante de uma empresa de brindes e como corretora de imóveis. Durante um dia de trabalho como corretora ela teve uma terrível, e brilhante,  ideia que se tornou a inspiração para escrever “Identidade Roubada”. Chevy eventualmente vendeu sua casa e deixou imóveis para que ela pudesse terminar o livro. Identidade Roubada se tornou um bestseller do New York Times e ganhou o International Thriller Writers Award para Melhor Primeiro Romance. Os livros de Chevy  foram publicados em mais de trinta países.

Annie O’ Sullivan é uma corretora de imóveis que sai para trabalhar, e quando ela estava prestes a ir para casa um homem aparece se mostrando interessado em comprar a casa.  Porém o senhor com a aparência tranquila e gentil acaba sequestrando  Annie e a mantendo em cativeiro. Depois de 365 dias a mercê do maníaco,  Annie consegue fugir e conta toda sua experiência nesse um ano de confinamento para sua terapeuta.
Identidade Roubada foi publicado aqui no Brasil em julho de 2011 pela editora Arqueiro. Esse é o segundo livro que leio da autora, o primeiro foi “É Melhor Não Saber” que também indico muito. Identidade Roubada foi o primeiro romance escrito por Chevy Stevens, o livro é narrado em primeira pessoa pela própria Annie, e os capítulos são divididos em “Seções terapêuticas” e serão 26 seções com relatos comoventes e dolorosos e muito fortes. Além de contar sobre seus dias em cativeiro, a personagem também relata seus dia a dia depois de fugir, e esses relatos conseguem ser assustadores e angustiantes como os do dia que ela viveu presa, vemos que voltar a ter uma vida normal para Annie é algo que está fora de questão. Uma tragédia que vai abalar a vida não só dela, mas sim de todos a sua volta.

dsc_1802

Durante a leitura nos deparamos com passagens bem intensas e causa muito desconforto, em alguns momentos eu precisava para um pouco a leitura e depois continuar. Uma leitura que mexe muito com nosso psicológico, e a maneira como Chevy Stevens narra a história só faz com que vivenciamos essas dificuldades juntamente com a Annie e isso faz com que agente se sinta ainda mais incomodado com tudo, e chegando à conclusão de que a mente humana é o que temos de mais vulnerável.  Apesar de demorar 1 semana para ler esse livro pois durante 4 dias eu nem peguei no livro, a leitura é fluída e da pra ler bem rapidinho.

Quanto aos personagens foram bem desenvolvidos, apesar de que alguns poderiam ser mais bem explorados e deixar a história mais interessante do que já é. Achei muito incrível também a maneira como a autora trabalhou na personalidade da personagem principal, fica bem nítido a mudança de temperamento dela ante e depois do seqüestro, não deixando a história sem sentido ou muito forçada.

Chevy Stevens terminou esse livro de um jeito incrível, quando chegou no final eu não conseguia acreditar no que estava acontecendo, foi magnífico de uma forma assombrosa. Para quem gosta de Trillher psicológico essa é uma ótima dica, um dos melhores que li do gênero com certeza.

Bjus!
Keel ^^

Filme: Milagres do Paraíso

Filme: Milagres do Paraíso


Direção:
Patricia Riggen
Gênero: Drama
Data de lançamento: 21 de abril de 2016
Distribuidor:
Sony Pictures

01

Olá galera,

Recentemente assisti a um filme muito emocionante chamado “Milagres do Paraíso” e gostaria de compartilhar aqui com vocês. Assim como com alguns livros esse foi aquele tipo de filme que comecei a assistir sem saber nada sobre ele, não li a sinopse, nem nada, e quando percebi já estava amando cada cena, cada personagem.  Depois de assistir fui pesquisar um pouco e descobri que o filme foi baseado em um livro homônimo publicado em 2016. A história é baseada em fatos reais e  é um relato da autora de como a vida de sua família mudou depois de um grande milagre.

Sinopse: Christy (Jennifer Garner) e Kevin Beam (Martin Henderson) são pais de três garotas: Abbie (Brighton Sharbino), Annabel (Kylie Rogers) e Adelynn (Courtney Fansler). Eles vivem em uma confortável casa, junto com cinco cachorros, e acabam de abrir uma clínica veterinária, o que fez com que tivessem que apertar os cintos e hipotecar a casa. Cristãos convictos, os Beam vão à igreja com frequência. Um dia, Annabel começa a sentir fortes dores na região do abdome. Após muitos exames, é constatado que a garota possui um grave problema digestivo. Tal situação faz com que Christy busque a todo custo algum meio de salvar a vida da filha, ao mesmo tempo em que se afasta cada vez mais de sua crença em Deus.

O filme foi produzido pela Sony Pictures e estreou nos cinemas em 21 de Abril de 2016 aqui no Brasil,  e a família Beam foi interpretada por grandes nomes do cinema como:  Jennifer Garner,  Kylie Rogers, Martin Henderson, Queen Latifah e Brighton Sharbino.

A mexicana Patricia Riggen, diretora do longa, é conhecida por transformar seus filmes em obras comoventes, dramáticas e tocantes. Além de Milagres do Paraíso, ela já produziu outros filmes de vários gêneros como: Os 33 (2015); Lemonade Mouth (2010); Sob a Mesma Lua (2007).

Não vou estender muito quanto à história, pois o que me fez gostar ainda mais do filme foi se pega de surpresa em ralação a tudo. E achei um baita Spoiler em algumas sinopses de site, então para quem não gosta de Spoilers cuidado.

Um filme que envolve varias questões sérias como medicina, religião, relacionamento familiar, dificuldades financeiras e doenças graves com crianças tudo de um jeito bem singelo, doce e afetuoso. Que mostra que a fé maior do que qualquer coisa, inclusive a dor. Vamos acompanhado durante a evolução da doença da Annabel o que nos deixa ainda mais próximos dos personagens.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Trailer: 

Espero que vocês tenham gostado quem já assistiu deixem os comentários aqui.

Bjus!
Keel ^^